Revista Aú

Sobre a Revista

Revista AÚ - ISSN 2238-8494

Em maio de 2015, iniciamos o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros do DEGASE[1] - NEAB-D[2]. Maio é um mês com datas emblemáticas para o Movimento Negro Brasileiro. No dia 13, comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Racismo, no dia 25, O Dia da África. O combate ao racismo e a educação das relações étnico-raciais são os pilares de nossa atuação.

Nessa perspectiva, lançamos a Revista AÚ. Aú é um movimento da capoeira, luta inventada por afro-brasileiros nas senzalas como resistência as opressões. Um golpe com múltiplas variações e possibilidades de reinvenção. Como na capoeira, partimos de uma base e apresentamos a revista em seções. Cada seção tem seu nome vinculado à capoeira.

Na seção Roda[3], apresentamos artigos desenvolvidos por professores do curso Estudos Afro-Brasileiros e Socioeducação, organizado anualmente pelo NEAB-D. A produção textual dos operadores do sistema socioeducativo que participaram do curso, como alunos, vem na seção Treinel[4]. A Revista AÚ apresenta, ainda, a seção Caxinguelê[5], uma pincelada nas atividades realizadas nas unidades educacionais do DEGASE pelos adolescentes socioeducandos. Na seção Aruanda[6], homenagens póstumas e homenagens em vida para personalidades negras que fazem parte da história do Brasil, são apresentadas em textos especiais. A revista apresenta, também, as seções Berimbau[7], com um artigo, a cada edição, sobre momentos da história do Movimento Negra Brasileiro e Zum, zum, zum[8], uma abordagem livre da vasta gama de expressões artísticas e culturais afro-brasileiras e seus realizadores.

Desejamos uma boa leitura!

[1] Departamento Geral de Ações Socioeducativas é a instituição responsável pela execução de medidas socioeducativas por adolescentes no Estado do Rio de Janeiro

[2] O NEAB-D é um órgão componente da estrutura da Escola de Gestão Socioeducativa Paulo Freire – ESGSE do DEGASE.

[3] Círculo formado por capoeiristas onde duas pessoas, ao centro, jogam capoeira, sendo substituídas por outras ao decorrer do jogo, enquanto as pessoas que estão em volta batem palmas e respondem o coro cantado e tocado por capoeiristas.

[4] Etapa na trajetória de praticantes de capoeira.

[5] Menino e menina que joga capoeira.

[6] Lugar onde moram os orixás, cantados até hoje nas rodas.

[7] Instrumento de percussão formado por cabaça, arame e um pedaço de pau. Comanda a roda de capoeira, manda no ritmo e no jogo.

[8] Barulho que se assemelha ao som feito pelo vento, por um inseto (besouro, abelha, mosca, mosquito, pernilongo etc.). Notícia ou informação não confirmada que se torna do domínio público. Comentários.  Boato, rumor, mexerico.

Edição Atual

v. 3 n. 03 (2020): Revista Aú Nº 03
Na capa da Aú, temos Em Família, reprodução do quadro do artista plástico Sergio Vidal. O olhar fotográfico e estilizado do artista apresenta um realismo feliz, um retrato sobre o cotidiano do povo brasileiro. Considerado um dos principais ícones da pintura negra brasileira, as obras de Vidal já foram expostas em diversas galerias do Brasil, Estados Unidos, Bélgica, França e México. Agora, com singelo prazer, temos Sergio Vidal, também, na Revista Aú.

Neste ano de 2020, que marca a comemoração dos cinco anos do Núcleo de Estudos Afro-brasileiro do DEGASE (NEAB- D), apresentamos a Revista Aú, número 3.

A revista, na seção Roda, tem seu corpo formado por textos de autoria de professores do III Curso Estudos Afro-Brasileiros e Socioeducação - Ampliando nossos olhares sobre Movimentos Antirracistas, promovido pelo NEAB-D. Livia de Souza Vidal, Raquel Barreto e Paulo Menezes abordam, por prismas complementares, o combate ao racismo com artigos sobre democracia e democracia racial, escritas de si e capoeira na educação.  

A Seção Treinel mostra o resultado de nove trabalhos de estudantes que fizeram o III Curso Estudos Afro-Brasileiros e Socioeducação. As reflexões acerca das temáticas que cada um optou por desenvolver são contribuições relevantes que podem enriquecer o percurso de uma educação antirracista no DEGASE.

Na Seção Caxinguelê, Roberta Aleixo analisa, com seu olhar precioso, a relação entre arte e educação no contexto socioeducativo, tendo como objeto de reflexão o Projeto I-D-E-N-T-I-D-A-D-E-S - Expressão Pictórica Coletiva que entre os anos de 2003 e 2012 foi desenvolvido em duas unidades do DEGASE.

Na Seção Aruanda, Carlos Alberto de Oliveira, o popular Caó, Beatriz Nascimento, Riachão e Chica Xavier tem justas homenagens pela contribuição que deram e dão a valorização da luta, do saber e da cultura negra.

Na estreia da Seção Berimbau, pensada para refletir aspectos do papel e da história do Movimento Negro, Aderaldo Gil, desenha artigo sobre um dos marcos históricos do Movimento Negro, a Frente Negra.

Na Seção Zum-Zum-Zum, a vez é do cinema. Roberta Filgueiras Mathias abre um panorama sobre o cinema negro latino-americano.

Finalizando, na capa da Aú, temos, Em Família, reprodução do quadro do artista plástico Sergio Vidal. Considerado um dos principais ícones da pintura negra brasileira, agora, com singelo prazer, temos Vidal na Revista Aú. 

Boa leitura!

Publicado: 2020-06-24

Seção Treinel

Seção Zum-zum-zum

Ver Todas as Edições

Em breve teremos disponíveis para nossos leitores e leitoras a Revista Aú, Volumes I e II.